Optimizar o Armário: 4 Etapas que te podem ajudar

optimizar o armário

OPTIMIZAR O ARMÁRIO

Aprende as etapas que te ajudam a ter um armário mais inteligente, funcional e apelativo 😉

Começo com estas questões:

Gostarias de um armário mais funcional? Não é positivo saber a roupa que se tem e ter tudo ordenado e com uma disposição apelativa? Não te provoca calma e te ajuda a decidir?

Pois, eu acho que optimizar o armário pelo menos duas vezes ao ano, nos pode ajudar a conseguir estes tão ansiados calma e controlo. Não utilizo a palavra “minimizar” porque é algo que vai mais além, é algo que se faz de uma forma totalmente pragmática e sólida com vistas à funcionalidade, mas também algo que fortalece e ajuda à definição do estilo pessoal. 

Optimizar o armário desempenha um papel fundamental na busca da satisfação e de uma boa relação com o guarda roupa. Sei que existem inúmeros motivos pelos quais acumulamos roupa que pouco utilizamos ou que nem sequer nunca vamos utilizar na vida. Há a que nos custou muito dinheiro, a “para ocasiões especiais”, a de valor sentimental, a para quando emagrecer ou engordar, a “e se me fizer falta”….Toda esta roupa corresponde ao espectro da fantasia, a uma projecção daquilo que nós gostaríamos mas que nada tem a ver com a realidade.

Então, porque não rodear-te das roupas que te representam a ti neste momento, das roupas do teu agora?

Vamos lá abrir as portas desse armário e olhar com olhos de ver, ser criteriosos e manter um método para que optimizar o armário não seja uma sangria dolorosa, mas algo que se faz com estratégia, de forma organizada. Não vai ser tão trabalhoso nem tão angustiante como pensas. Não se trata de uma reorganização, mas antes de uma SELECÇÃO ACTIVA, lembra-te.

1. PREPARAÇÃO

 Abre as portas do teu armário, retira tudo também das gavetas e das prateleiras. Põe tudo bem à vista. Aproveita para limpares e definires os espaços nos quais vais colocar a roupa que pretendes vestir. 

2. SEPARAÇÃO

Faz uma divisão por partes de cima e partes de baixo. Agora, vai um pouco mais além e segmenta por categorias: camisolas, calças, vestidos, camisas… e assim sucessivamente. 

optimizar o armário
optimizar o armário
3. SELECÇÃO
  • PEÇAS EM FIM DE VIDA

Itens para descarte muito desgastados, desbotados, manchados sem salvação, que perderam a forma, irreconhecíveis. São aqueles que esgotaram o seu tempo de vida, que devem ir para o contentor da reciclagem. Ou então podes aproveitar essa roupa para quando tens que realizar tarefas domésticas, ou alguma bricolage em que te possas sujar. Outra ideia é fazeres trapos que depois podes utilizar para limpezas várias 😉

  • PEÇAS NÃO

Aquelas que já não fazem sentido no teu armário, quer seja porque já não te servem ou porque já não se encaixam no teu estilo de vida ou gostos. Se ainda estão em bom estado podem servir bem outra pessoa. São itens inadequados para ti e que estão a pesar física, mental e emocionalmente. Passa-os para alguém que os possa usar.

Podes optar por:

  • VENDA: Vendê-los em plataformas de venda de segunda mão como por exemplo a Micolet ou Retry, ou através do marketplace do Facebook ou até pelo Instagram. Convém fazer uma pesquisa criteriosa; há sítios que se encarregam de doar as peças que não vendem a instituições com as quais estabeleceram algum protocolo de colaboração. 
  • DOAÇÃO: Roupas que estão em boas condições, mas que não são necessariamente para revenda. Podes doá-las a instituições, a pessoas que necessitem, a amigos ou familiares.
  • PEÇAS SIM

São aquelas que vais manter. São aquelas que vão voltar para o roupeiro porque, neste momento, fazem sentido e vais vesti-las agora. São as que vais voltar a colocar no varão, nas gavetas ou nas prateleiras. 

  • PEÇAS STANDBY 

São os itens sazonais que sabes que agora mesmo não vais necessitar. São peças que gostas e que sabes que vais vestir quando o clima mudar.  Remover as peças de roupa de  baixa temporada vai proporcionar um espaço livre mais amplo. Também não faz sentido que permaneçam no espaço e ocupem um lugar as peças que não fazem parte activa da rotação de roupa para vestir. 

São também os elementos sobre os quais paira alguma incerteza. Por vezes, deixá-los descansar um pouco, reaviva um pouco a vontade de os vestir. Ou, ao contrário, faz com que já não tenhamos dúvidas acerca do seu lugar. 

optimizar o armário
optimizar o armário
4. COLOCAÇÃO

Depois de classificar tudo e determinar bem o que  fica e o que vai, é o momento de dispor tudo no armário. Esta é uma etapa mais gratificante e crítica do processo de optimizar o armário que ajuda a definir o nosso nível de contentamento com o que vestimos e as suas possibilidades. 

Sempre que possível, devemos manter tudo bem visível e facilmente alcançável. Utiliza um cabide para cada peça; se tiveres que dobrar, não amontoes muitas peças; os itens que usas mais, que fiquem na prateleira mais à mão. Actualmente, deixo a minha cápsula sazonal num charriot. Eu utilizo este. Assim consigo perceber melhor o que tenho disponível. Continuo a utilizar o método de armário cápsula sazonal porque funciona para mim, mas tu podes editar o teu armário por uma questão de prática e clareza. 

Depois, podes optar por:

  • ordenar por cor: as peças da mesma cor juntas ou então por histórias de cor. Se quiseres saber mais sobre isto de “histórias de cor”, podes consultar este artigo
  • ordenar por categoria: todos os vestidos, todas as calças, todas as blusas…e assim sucessivamente.  
Dica de organização:
  • se empilhares por exemplo, calças de ganga, deixa o cós para fora; assim, podes perceber rapidamente qual é o par que queres vestir. Por vezes, a lavagem da ganga é muito semelhante e ao estarem dobradas umas em cima das outras não dá para perceber qual é qual. 

Se puderes, pendura todas as peças que se podem enrugar ao estarem dobradas: tshirts, camisas, blusas… Também tem a dupla função de ficarem mais visíveis. 

Arruma noutro sítio aquilo que não vais usar. Uma óptima maneira de ter mais espaço no armário é guardar as roupas que não vais usar durante algum tempo. Eu costumo utilizar caixas de armazenamento; até deixo sempre uma linda de tecido do Ikea (parecida com esta) à vista porque gosto bastante. Os casacões prefiro deixá-los pendurados num roupeiro à parte porque assim não se amassam e mantêm a sua forma. 

Mais uma dica:
  • No final de cada estação, não me esqueço de lavar correctamente as peças e guardá-las em locais secos e protegidos das traças (bolinhas de cedro ou saquinhos de alfazema ou alecrim). Gosto de enviar os sobretudos e os blazers à lavandaria para estarem impecáveis para a estação seguinte.

Aconselho a que tentes optimizar o armário pelo menos duas vezes ao ano. A primeira vez pode parecer uma tarefa impossível, mas vais ver que o resultado é muito positivo e sempre que repetires estes passos, vai ser cada vez mais e mais ágil e fácil.
optimizar o armário
optimizar o armário

Neste artigo...

Optimizar o armário reduz o stress e a frustração. Um armário optimizado ajuda-te e entender melhor qual é o teu estilo e como mostrá-lo. Traz calma e sabedoria e a segurança de saber que as roupas escolhidas vão ser usadas.
Além disso, o armário editável é sempre que nós quisermos, podemos optimizar sempre que sentimos que há essa necessidade, não é algo que permaneça estanque e sem possibilidades de mudança. Não é um esvaziar sem sentido, é uma tarefa que purga e revitaliza de uma forma inteligente. É um filtro que garante que prevaleça a funcionalidade assim como a estética que mais gostas.

Obrigada por estares desse lado! Até à próxima!

Sara.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *